quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O Fim de Um Marco!

Boa noite, pessoal!
Tudo jóia? Hoje eu vim dar uma notícia que pode ser um pouco chata para alguns, mas para a grande maioria talvez não faça muita diferença já que se trata de uma saga não tão popular. O que eu tenho para dizer hoje é sobre a saga das Princesas, em que o estúdio trabalhou. Ainda não ligou o nome à pessoa? Estou falando dessa série:


Você pode ler os dois aqui:

A Princesa de Bernardes - http://www.smocci.com/obra.php?id_obra=1612

A Princesa de Prudente - http://www.smocci.com/obra.php?id_obra=2643

Quando eu iniciei o Estúdio Armon, a primeira história em quadrinhos criada foi A Princesa de Bernardes. E também foi a primeira a ser impressa de modo totalmente independente. Basicamente aprendemos como fazer impressos e quadrinhos com esta história. A ideia era simples, sendo um composto de tirinhas de comédia sobre um cara atrapalhado tentando conseguir uma namorada. A grande maioria dos caras dessa idade fazem deste objetivo, uma verdadeira quest! E com essa premissa, Artur conheceu Mai, uma garota egocêntrica que mora num enorme castelo em uma pequena cidade do interior de São Paulo chamada Presidente Bernardes. Por diversos motivos e conflitos de identidade, Artur acaba não alcançando seu objetivo e então pare para a próxima, após uma desilusão amorosa.

Meses depois, ele conhece Drica na internet, a sua possível nova princesa e que mora na cidade ao lado, Presidente Prudente. Esta tecnológica garota mora num prédio mais alto que uma torre de castelo, mas ela parece dar mais atenção ao seu Smartphone do que ao seu príncipe...

O que talvez algumas pessoas não saibam, é que A Princesa de Bernardes foi criada baseada na própria história de vida de seu autor, Fábio Gesse. A Princesa Mai foi baseada numa garota que ele gostava e teve sua personalidade misturada com a de uma ex-namorada sua. A Princesa Drica? Também, aparência de uma ex e personalidade de outra. E assim seria esta saga, intercalando os antigos relacionamentos do autor em histórias curtas, descompromissadas e como uma grande busca ao amor verdadeiro.

Para falar a verdade, após o lançamento de A Princesa de Bernardes, o autor decidiu parar por ali mesmo. Mas talvez por ser a primeira história do estúdio, o impresso vendeu demais! Cerca de 70 impressos e ainda é o impresso que mais vendeu na história do Estúdio Armon. Muitos pediram uma continuação e o autor se viu praticamente forçado a dar vida a Princesa Drica, mas a empolgação talvez não fosse a mesma. A queda na qualidade da história foi evidente como visto em algumas críticas pelas redes sociais. Algumas outras pessoas gostaram e elogiaram também, pedindo a continuação e ela começou a ser feita... A Princesa de Guarulhos, a terceira da saga de Artur.


Até divulgamos esse poster com o character design da Princesa Pam, a Princesa de Guarulhos e ela até é citada no final d'A Princesa de Prudente. Porém a pressão das críticas e a falta de motivação do autor em continuar trabalhando nesse projeto acabaram por atrasar o lançamento dele. Além do mais, como a saga é baseada nos antigos relacionamentos do autor, eram previstas 6 ou 7 edições no total, com cidades e nomes de princesas já definidas.

Acontece que muitos outros projetos mais bem elogiados e mais populares acabaram virando prioridade e seria um certo desperdício de tempo ficar investindo num projeto simples e impopular. Sem falar que ninguém gosta de ficar relembrando as ex-namoradas, não é? Nosso autor também não é exceção, e chega uma hora que mesmo usando de humor, é hora de deixar o passado no passado e pensar em projetos futuros. O autor não é nenhum Scott Pilgrim...

O Estúdio poderia deixar o projeto em aberto, assim como fizemos com as séries de tirinhas de Jango, o Frango, Armon e Super Bolha... Temos planos de voltar com eles, por isso não finalizamos de vez e nem cancelamos os projetos. Mas a saga de Artur e suas princesas, de fato não voltará a ser trabalhada. É oficialmente um cancelamento de projeto e achamos justo avisar aos leitores sobre isso.

Fizemos a logo também, assim como um escopo de como seria a capa da princesa de amarelo. No final da matéria você também pode conferir a versão cheia da capa em esboços. E só por questão de curiosidade, o Artur apareceria em todas as capas segurando a nova princesa, enquanto a princesa anterior apareceria na contracapa como se estivesse ficando para trás. E esta espada que ele sempre segura, é de plástico, comprada no camelô. Ele iria revelar isso na edição 5. (Risos)

A obra foi algo marcante para o Estúdio Armon, foi sim! Nossa primeira obra, primeiro impresso, maior tiragem, mas deveria ter ficado só na primeira edição e sair de campo enquanto estava ganhando. Na segunda edição acabou se tornando algo forçado e não fluiu como deveria e não queremos ver uma terceira edição repetir o desempenho. Aliás, o autor nem está motivado a fazê-la. O Fábio está se dedicando mais a escrever os roteiros do que fazer a arte das histórias e gerenciar o estúdio também toma muito tempo, então... Se você é fã dessa obra, nós sentimos muito, mas todo projeto um dia tem um fim, e o fim das princesas chegou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário