quarta-feira, 13 de março de 2019

Homenagem a um amigo - Maicon Kener

Dizer que a vida nos pega de surpresa é cliché. Dizer que os melhores vão cedo, também...

Mas quem se importa com clichés numa situação dessas? Um amigo nos deixou... Deixou sua família, seus amigos e seu legado... Mas mesmo que ele tenha partido de nosso convívio, jamais partirá de nossa memória...

Maicon Kener desenhou desde a infância e sonhava trabalhar com isso quando adulto, porém, a vida não foi tão amigável para ele, criando condições desfavoráveis para sua dedicação ao que tanto amava. Já passei madrugadas conversando com ele sobre roteiros de quadrinhos e o que ficaria legal em uma história. Planejei futuros para sua arte e fizemos vários trabalhos em conjunto. A ideia era que nós levássemos a arte do Maicon por onde fosse, porque o que é bom, precisa ser mostrado. Ah, e esse rapaz tinha muito pra mostrar!

Ele chegou ao Estúdio Armon em 2014, na primeira expansão de equipe. Pela primeira vez, o estúdio era composto por mais alguém além de mim, e do meu irmão Lucas. Quase ao mesmo tempo que ele, veio a Cristiane Armezina. Maicon era um cara com uma visão inocente da arte, queria apenas desenhar e, apesar de seus sonhos audaciosos, as dificuldades da vida o desanimavam às vezes... O nosso papel foi encorajá-lo a seguir o rumo que queria e conciliar com o rumo que precisava tomar.

Seus primeiros trabalhos no estúdio foram 2 one-shots.

Ausência conta sobre a superação de um protagonista que aprendeu a ser o homem que seu pai nunca foi. É uma história curta de 8 páginas e, apesar de ter sido roteirizada por mim, foi com um argumento completamente dele.

A outra era um one-shot que já existia no estúdio, desenhado desagradavelmente por mim há um tempo e do qual, ele se prontificou a redesenhar, por ter adorado a história. Borboletas conta sobre sorte, azar e superstições relacionados a borboletas negras.

Ambos foram lançados na plataforma de leitura UPMangá e tiveram uma boa recepção. Maicon já tinha um renome no meio independente de quadrinhos, por sua antiga série Novo Mundo, da qual ele decidiu descontinuar por possuir um roteiro bastante grande e incoerente, típica história que criamos quando somos crianças sonhadoras.

Sua vontade de trabalhar em conjunto comigo mais uma vez, o levou a começar a ilustrar um roteiro chamado Contos de Astolat, com temática medieval. Seria um one-shot, porém, devido a dificuldade em criar armaduras e movimentação, ele decidiu se dedicar mais tempo a treinar o desenho, para só então, retomar a série.

Passou um tempo treinando e até se afastou um pouco.

Em 2015, Maicon decidiu retomar os quadrinhos e colocar no papel a sua paixão por um dos esportes menos populares no Brasil, mas que, segundo ele, chamaria a atenção da galera para conhecê-lo um pouco mais. Surgiam então, os primeiros esboços do seu principal trabalho, a série de beisebol GO! GO! Home RUN!

A ideia geral de GO! GO! era um garoto pobre que tem vontade de jogar beisebol num clube da cidade, porém não tem dinheiro para tal, então ele vai na raça e na coragem, dando lição de humildade em muita gente. Algo bastante diferente para quadrinhos brasileiros nos tempos de hoje, talvez por isso tenha chamado tanta atenção por seu primeiro capítulo. Sua intenção era homenagear seu avô através dessa história.

Após o capitulo 2 da série de beisebol  estar feito e lançado, tivemos nosso primeiro Catarse, o livro coletivo de quadrinhos Era Uma Vez e, como não poderia deixar de ser, Maicon foi convidado a participar, como um dos principais integrantes do Estúdio Armon.


Além de participar de mais alguns collabs do Estúdio Armon, Maicon retomou sua série após alguns meses, criando assim o capitulo 3 de GO! GO! Home RUN!, sagrando a série como uma das mais populares do estúdio e das HQs independentes na internet também.

Após esse lançamento, Maicon desanimou um pouco por causa de umas guinadas que a vida deu e acabou se apegando mais em sua religião. Em 2017 e 2018, Maicon passou por grandes dificuldades e superou muitas delas por conta de sua fé, tanto que, apresentou ideias de outras histórias com estilo gospel para nós, e mesmo algumas sendo aprovadas, ele nunca chegou a começar alguma delas.

Ao final de 2018, Maicon retomou a série de beisebol e apresentou páginas novas para o capitulo 4. Ele sempre tinha problemas com internet, então ficava longos períodos sem contato conosco... Neste começo e 2019, descobrimos através das redes sociais de seus familiares que ele nunca conseguiria terminar esse capítulo... Infelizmente veio a nos deixar no dia 3 de março, por conta de um enfisema pulmonar.

O que fica para nós é a saudades e todo seu legado de artes incríveis que poderiam colocá-lo num patamar alto no ramo de  ilustração no Brasil. E sua série será eternizada por aqui, como algo que representa que devemos perseguir nossos sonhos o quanto antes, para que eles não fiquem pelo caminho quando nos formos.

Vá em paz, meu amigo... E se fizer alguma caricatura ou alguma arte incrível aí pelo céu, faça sabendo que ela seria extremamente prestigiada por nós e causaria um sorriso ao vê-la.

Enquanto você foi... Nós ficamos... E aquela frase que você dizia com tanto gosto, tomaremos como um estandarte do nosso Estúdio:

"Eu levo meus sonhos no coração e na ponta do lápis!"
- Maicon Kener -







5 comentários:

  1. Que texto maravilhoso... Agora o que fica é a saudade e as belas artes desse nosso amigo.

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, com certeza ele mereceu essa homenagem, obrigada a vocês.

    ResponderExcluir
  3. Nossa sempre o Maicon teve o dom ...agora o que fika e a saudade e as lembranças dos momentos bons...

    ResponderExcluir
  4. Nossa... Entrei no Estúdio por causa dele.. Nunca pude o conhecer pessoalmente, mas foi um grande amigo virtual, sempre trocamos conselhos sobre nossas obras. Descanse em paz... Vamos continuar por você também!

    ResponderExcluir