quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Armon Entrevista: Pedro Leonelli


E aí, beleza?

Agosto passou voando, não é mesmo? Setembro vai ser um mês de mudança para o Estúdio Armon. Prestes a completar 2 anos de existência, perdemos membros recentemente e também ganhamos novos. Finalizamos séries e também começamos novas. Estamos trabalhando em novas histórias também e assim tudo se renova. Voltamos a ter pontos de vendas de impressos e um deles é a já conhecida Gibilândia da qual o dono é o nosso entrevistado de hoje: Pedro Leonelli!

Pedro além de ter uma das profissões que todos nós, amantes de quadrinhos, queríamos ter: Ser dono de uma loja de quadrinhos, também é ilustrador e foi um dos vencedores do Brazil Manga Awards, o concurso nacional de mangás da Editora JBC, juntamente com a sua namorada Dharilya. Com uma história surpreendente que mescla dois traços diferentes, "Entre Monstros e Deuses" será lançado na antologia Henshin Mangá nesse mês de setembro e nós ouvimos do Pedro, como é ser um dos vencedores! Vamos ler a entrevista?



Estúdio Armon: Olá Pedro! Para começar a nossa entrevista, vou fazer a mesma pergunta que faço para todos os entrevistados. Como começou a sua paixão por quadrinhos?
Pedro Leonelli: Então, sempre gostei de Histórias em quadrinhos. Começou com Turma da Mônica no início dos anos 90... Depois expandi para super-heróis, mangás, europeus...

Armon: Você é ilustrador, trabalha com gibis e é dono da maior loja de quadrinhos da região de Presidente Prudente. Como conciliar tudo isso?
Pedro: Confesso que nos últimos anos tenho desenhado pouco. Basicamente só desenho quando tenho que entregar algum trabalho. Atualmente me dedico mais a Gibilândia, a loja de quadrinhos. Levo o desenho mais como um trabalho de oportunidade. Às vezes surge algum e faço. Até agora tem sido tranquilo.

Armon: Como é ser dono de uma loja de quadrinhos como a Gibilândia?
Pedro: Não vou mentir, é ótimo! Tenho bastante liberdade (já que sou o meu chefe), conheço pessoas legais e trabalho com aquilo que mais gosto: gibis!

Armon: Como a Gibilândia começou?
Pedro: Antes eu trabalhava como designer gráfico, atuei por 5 anos na área. Mas quando vi a oportunidade de abrir uma loja de quadrinhos aqui na minha cidade, juntei tudo que eu tinha e fui de cabeça! Hoje posso dizer que estou feliz com as decisões que fiz, mas no começo, como de qualquer negócio, foi bem difícil.

Armon: Agora falando do seu trabalho, você divulga diversas ilustrações no Facebook. Quais são os trabalhos mais você realiza em relação a desenho?
Pedro: Ando desenhando pouco. Além das caricaturas e ilustrações, participei de algumas collabs de desenhistas, dessas que juntam vários artistas e cada um desenha um personagem sorteado... Uma do Digimon (essa contou com mais de 100 artistas foi bem legal), uma dos Cavaleiros do Zodíaco e a mais recente dos X-Men que ainda está pra lançar.

Armon: Você foi um dos vencedores do BMA com a sua história “Entre Monstros e Deuses”. Como foi a confecção dessa história desde o começo?
Pedro: Fiz esse quadrinho com a Dharilya. Há muito tempo queríamos fazer uma obra juntos. Sempre tive um fetiche de desenhar em 2.... Como aquele quadrinho “fusão” do Wolverine que era feito pelo Jon J. Muth e pelo Kent Williams. Na época tinha acabado de ler Asterios Polyp do David Mazzucchelli e misturar dois estilos de desenho numa mesma história parecia desafiador! A princípio essa era a ideia, fazermos um quadrinho a dois! Na época a JBC anunciou o concurso do BMA e decidimos participar dele!

Armon: Você esperava ser um dos vencedores? Qual foi a sensação quando soube?
Pedro: No começo eu estava bem confiante, mesmo sem roteiro a ideia de juntar 2 desenhistas em uma história me parecia bem promissora. Mas foi muito mais tumultuado que pensei... Começamos a desenhar faltando menos de 20 dias para entregar, a Dharilya estava no mês de entrega do TCC dela. No final das contas o material não ficou com a qualidade que imaginávamos e quando vi que nossa inscrição era a de final 201 eu já estava bastante inseguro... 201 trabalhos inscritos até aquele momento é muita coisa! Fiquei bastante surpreso e feliz quando soube que nosso quadrinho tinha sido um dos escolhidos.

Armon: O que significa “desenhar” em sua opinião?
Pedro: Pra mim é um meio de comunicação... Uma tentativa de apresentar uma ideia com uma imagem. Pode parecer meio simplório, mas atingir esse objetivo é bem mais complicado do que parece...

Armon: Quais são os autores que você tem como referência? Pode citar nacional ou internacional.
Pedro: Gostar, eu gosto de vários! Mas os mais próximos são os que mais inspiram, por compartilhar uma realidade mais parecida com a minha...
Sou muito fã do Pietro (www.facebook.com/pietroant)...
Do Ricardo Mango (www.facebook.com/ricardomango)... 
E claro, da Dharilya (www.facebook.com/Dharilya)...
...com quem fiz o Entre Monstros e Deuses... Mais que ganhar o concurso a minha maior felicidade foi dividir um trabalho com ela! Existem muitos outros que admiro também, principalmente da época que participava mais ativamente de fóruns no finado Orkut... Tem muita gente nova e talentosa dando as caras atualmente!

Armon: Você costuma acompanhar quadrinhos nacionais? Cite alguns que você leu e que valeram a pena.
Pedro: Vamos lá, às dicas:
Atualmente a série Graphic MSP é a nata dos quadrinhos nacionais. Reúne os melhores autores com uma abordagem inusitada da maior franquia de quadrinhos nacionais! Junto a esse dou destaque também para a trilogia MSP 50.
Das publicações independentes recomendo:
Bando de Dois, São Jorge e Necronauta do Danilo Beyruth, tudo do cara é genial!
Outra publicação recente que merece destaque é o Valente, do Vitor Cafaggi... O cara tem uma sensibilidade invejável!
Também gostei muito dos trabalhos do Rafael Koff (Cuecas por Cima das Calças e Tirinhas do Zodíaco).
Dos mais antigos eu indicaria Xampu do Roger Cruz (Sério, é uma das melhores coisas que já li, não só em termos nacionais) e Mesmo Delivery do Rafael Grampá!
Vale aqui uma menção honrosa para Holy Avenger (do Marcelo cassaro e da Erica Awano), Hypercomix (do João Vicente) e Street Fighter (do Arthur Garcia e Alexandre Nagado) pelo saudosismo...
Já ia esquecendo! Tem “Monstros” do Gustavo Duarte que é épico! Pânico no José Walter do Talles Rodriguez é um quadrinho jornalístico muito, muito, muito bom também!
Vou parar por aqui. (Risos)

Arte por Dharilya Rodrigues
Armon: Quais são os projetos para o futuro, após o lançamento da Henshin Mangá da JBC, onde sua obra será vista por milhares de pessoas?
Pedro: No momento não tenho nada planejado...

Armon: Quem quiser conhecer mais sobre seu trabalho, pode encontrá-lo ou contratá-lo onde?
Pedro: Pode procurar na minha fan page do Facebook: (www.facebook.com/pedro.leonelli.art)

Armon: Para finalizar, deixe um recado para pessoas que seguem esse sonho de trabalhar com quadrinhos e estão na luta.
Pedro: O mais importante é gostar do que faz! Trabalhar com quadrinhos não é fácil! É muito trabalhoso e nem sempre temos o retorno que desejamos. Mas não tem muitos segredos é só insistir. A internet abre muitas portas!
O único conselho que dou é procurar ficar mais informado sobre o mercado nacional! Não adianta querer ser desenhista de HQ no Brasil e só conhecer algumas poucas franquias “gringas”... É muita inocência achar que dá pra fazer uma Shonen Jump ou uma Marvel no Brasil... Nossos públicos são diferentes nosso mercado editorial é diferente.

Então se você quer ser desenhista de quadrinhos nacionais, saiba o que é produzido no Brasil, leia obras nacionais, Prestigie nossos autores! E seja melhor que eles XD.

***

Arte por Dharilya Rodrigues
É isso aí, galera! Curtiram a entrevista?
O Pedro é um cara gente boa que conheci nos eventos aqui da região de Presidente Prudente e está sempre tranquilo. É um grande parceiro e espero que sua história tenha uma grande repercussão! Estou super ansioso para ler "Entre Monstros e Deuses" e faço questão de divulgar o trabalho desse cara pois é de um capricho enorme!

Sucesso, cara!

Abraços e até a próxima!

2 comentários:

  1. Bacana! Gostei da entrevista e desejo ainda mais sucesso e prosperidade para a loja dele.
    Sei como é difícil lidar com o próprio negócio.
    E quanto ao prêmio, vendo a página aqui, adianto meus parabéns! Merecido!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Se existe uma pessoa merecedora de todo sucesso do mundo, é o Pedro! Parabéns, super orgulhosa desse meu amiguinho! n_n

    ResponderExcluir