sábado, 19 de outubro de 2013

Top Five #02 - Mangás Esportivos


Fala pessoal!
O nosso segundo Top Five está chegando hoje!
Como eu já havia dito, essa postagem será mensal e todo mês iremos recomendar 5 obras de algum segmento. Esse mês escolhi recomendar os 5 melhores mangás esportivos que já li. Aliás, só posso recomendar os que já li, não é? Pois com certeza alguém vai olhar a lista e falar "Hey, tal mangá é melhor que esse e deveria estar na lista". Nesse caso pode até ser melhor, mas provavelmente eu não li ainda. =P
Vou fazer assim: São 5 recomendados em 5 esportes diferentes, mas em cada um eu vou dar uma menção honrosa de um mangá que já ouvi dizer que é melhor, mas que ainda não li. Então se você se interessar pelo esporte em questão, pode procurar mais a respeito sobre estes.


TOP FIVE #02 - MANGÁS ESPORTIVOS

Os mangás de esporte geralmente são muito clichês, quase sempre tendo um protagonista péssimo no esporte ou que nem ao menos conhece o esporte e ao longo da história ele se apaixona e acaba se tornando cada vez melhor naquilo que faz, superando desafios e vencendo adversários. Mas mesmo assim, o gênero esportivo é um dos que mais gosto, tanto por conhecer regras e artimanhas dos esportes, como por ver diferentes maneiras de se superar desafios!

Sem mais delongas, vamos conferir!

Basquetebol


Slam Dunk
Autor: Takehiko Inoue
Volumes: 31 (Concluído)
Publicação: Setembro de 1990 - Junho de 1996

Hanamichi Sakuragi é um valentão que acaba de entrar no primeiro ano do colegial e todos tem medo dele por ele ser muito alto. Na esperança de conseguir uma namorada, ele se declara para várias garotas, mas todas dão fora nele dizendo que já gostam de garotos do clube de basquete da escola. Então ele se apaixona por Haruko, a gerente do clube de basquete que o convida a entrar e conhecer o esporte. Sakuragi entra para conquistar a garota, e tenta a todo custo parecer o melhor para impressioná-la mas com o tempo ele percebe que não está lá apenas porque se apaixonou por Haruko, mas sim porque se apaixonou pelo próprio basquete.

O Top Five do Estúdio Armon não estabelece posições de ranking, mas se tivesse que escolher um primeiro lugar, sem dúvida seria Slam Dunk. Com o belíssimo traço de Takehiko Inoue (Que já apareceu aqui no Top Five passado com sua outra obra Vagabond), Slam Dunk é uma ótima pedida não só para quem gosta de basquete, mas para que gosta de uma boa diversão. Nós vamos aprendendo o esporte junto com o protagonista que se acha o bonzão e sempre acaba se dando mal, sem dizer que ele é um tirador de sarro e zoa os outros sempre que tem oportunidade. Uma ótima história de superação de objetivos e tem cenas emocionantes. No Brasil, Slam Dunk foi publicado pela editora Conrad com seus 31 volumes.

Menção Honrosa: Kuroko no Basket

Boxe


Hajime no Ippo
Autor: George Morikawa
Volumes: 104 (Até o Momento)
Publicação: Outubro de 1989 - Ainda em Publicação

O mais longo mangá esportivo já publicado apresenta Makunouchi Ippo, um tímido e atrapalhado rapaz que sempre acaba apanhando dos valentões no colégio por ser um cara diferente dos outros. Ippo sempre ajuda a mãe em casa após a morte de seu pai, então ele não tem tempo de sair e fazer amizades. Por isso ele é tratado como lixo pelos colegas de escola, Um dia, no meio de uma surra que os valentões estão aplicando no rapaz, Takamura Mamoru o salva, dizendo ser um boxeador profissional. Enquanto cuidava dos ferimentos de Ippo, Takamura descobre que o garoto tem um potente soco e um grande potencial para ser um boxeador e convence Ippo a treinar para nunca mais apanhar para ninguém e aprender finalmente o que significa ser forte.

Você deve estar pensando: "Como você me recomenda um mangá de 104 volumes, pô! Tá doido?". Se você pensou isso, só posso dizer que você está perdendo uma grande oportunidade de se maravilhar com grandes lições de vida. Hajime no Ippo não apresenta apenas um esporte, mas apresenta as vidas sofridas de cada lutador, suas motivações, frustrações, ideais e objetivos. Como tem muitas cenas de lutas é fácil de ler. A dinâmica é bem rápida a história é bastante divertida e o traço vai melhorando a cada capítulo (Apesar de o Morikawa não saber desenhar mulheres muito bem. Todas tem a mesma cara do Ippo! =P). Nunca pensei que eu fosse gostar de boxe, mas esse mangá me fez enxergar o esporte com outros olhos. Infelizmente essa obra nunca chegou ao Brasil e devido ao número de volumes, nunca chegará.

Menção Honrosa: Ashita no Joe

Beisebol


Major
Autor: Takuya Mitsuda
Volumes: 78 (Concluído)
Publicação: 1994 - 2010

A história de Major segue o garoto Honda Goro, filho de um jogador de beisebol chamado Shigeharu Honda. Desde pequeno, Goro é apaixonado pelo esporte por conta de ser fã de seu pai, porém um acidente um terrível acidente acontece. Em um jogo contra um grande jogador da Major (Liga Profissional de Beisebol dos Estados Unidos), o pai de Goro leva uma bolada muito forte na cabeça e acaba sofrendo um derrame e falecendo logo depois. Goro que já não tinha sua mãe, acaba ficando com sua professora que o encoraja a seguir a carreira no beisebol para seguir os passos do pai e ser até melhor que o mesmo para deixá-lo orgulhoso e honrar sua memória. Começa então a carreira do orgulhoso Honda Goro, que ainda tem muito a aprender sobre trabalho em equipe e sobre a vida.

Mangás de beisebol são comuns no Japão, já que o esporte é muito popular por lá. A maioria dos brasileiros não consegue entender como funciona o jogo, mas Major apresenta direitinho as regras e o mundo do esporte até deixar você com vontade de jogar. Goro é um personagem tão determinado que chega a ser irritante as vezes, mas vê-lo vencer os desafios em memória do pai compensa todos os 78 volumes. Devido a baixa popularidade do esporte no Brasil, nunca veremos Major nas editoras por aqui.

Menção Honrosa: Diamond no Ace

Futebol


Area no Kishi
Autor: Hiroaki Igano
Arte: Kaya Tsukiyama
Volumes: 38 (Até o Momento)
Publicação: 2006 - Ainda em Publicação

Area no Kishi começa mostrando os irmãos Aizawa, Kakeru e Suguru. Suguru, o mais velho é um jogador da seleção japonesa junior e sempre inspirou o irmão mais novo a seguir seus passos, mas o chute de Kakeru é muito forte e ele acaba quebrando a perna de um companheiro em um treino. Por conta disso, Kakeru desiste do futebol, deixando o irmão muito desapontado. Num dia, enquanto Suguru tentava convencer o irmão a voltar a jogar, ambos são atropelados por um caminhão, Suguru morre na hora, e Kakeru tem seu coração atravessado pelas ferragens, mas por algum motivo, ele acorda no hospital e descobre que o coração de Suguru foi transplantado nele. Agora o irmão e a vontade dele seguirão Aizawa Kakeru para orgulhar o irmão e ser um grande jogador de futebol da seleção, um verdadeiro cavaleiro da área.

Sim, eu sei que muitos dirão que Giant Killing é um mangá de futebol muito melhor, mas ainda não li e é claro, se Area no Kishi está aqui é porque também tem seus méritos. É divertido ver cada time com suas estratégias diferentes e as referências aos jogadores brasileiros. O lance do Kakeru carregar o coração do irmão às vezes exagera um pouco, já que o garoto é tomado pelo espírito de Suguru em algumas jogadas, mas fora isso é futebol da mais alta qualidade. O futebol é a paixão nacional no Brasil mas parece que ninguém nunca quis arriscar lançar um mangá do gênero aqui. Nem o famoso Super Campeões que fez tanto sucesso no passado. Só agora a JBC decidiu investir nisso publicando Super Onze, mas ainda assim não é futebol de verdade. Vamos esperar que um dia as editoras apostem num mangá esportivo de verdade. Area no Kishi estará aguardando até lá.

Menção Honrosa: Giant Killing

Ciclismo


Yowamushi Pedal
Autor: Wataru Watanabe
Volumes: 30 (Até o Momento)
Publicação: Fevereiro de 2008 - Ainda em Publicação

Sakamichi Onoda é um otaku dos mais extremos. Tudo que tem a ver com mangá, anime, action figures e todo o resto, deixa o garoto apaixonado. Com sua bicicleta, ele vai toda semana até a cidade de Akihabara comprar coisas de anime, até aí tudo bem, mas o percurso é de 45km! Quando Onoda entra no colegial, ele deseja entrar no clube de anime para ter alguém com quem conversar sobre suas paixões porém, aparentemente o clube foi fechado por falta de membros. Para reabrir o clube, ele precisa recrutar 5 pessoas. Tá, mas onde entra o ciclismo nisso? Uma das pessoas que Onoda tenta recrutar é Shunsuke Imaizumi, um ciclista que sonha ser o mais rápido. Mas acontece que enquanto ambos sobem a rampa atrás da escola de bicicleta, Onoda acaba sendo mais rápido que Imaizumi. O ciclista fica perplexo, como pode um otaku em cima de uma bicicleta doméstica pode ser mais rápido que um ciclista treinado? Mal sabia o garoto que Onoda tem o dom para correr. Agora cada um tentará recrutar o outro para seu clube, Onoda quer puxar Imaizumi para o clube de anime enquanto o ciclista tenta convencer Onoda a seguir carreira em cima de uma bicicleta.

Quem imaginaria que um mangá sobre ciclismo poderia ser tão divertido? A gente se identifica muito com o protagonista Onoda (Pelo menos eu sim... =P) que é muito atrapalhado. Todos os personagens são muito carismáticos e divertidos. Não tenho muito o que falar porque comecei a acompanhar há pouco tempo, mas só esse pouco já é o bastante pra entrar nessa lista. Publicação no Brasil? Preciso nem falar que isso tá totalmente fora de questão, não é?

Menção Honrosa: Eyeshield 21 (Não é de ciclismo. É um mangá sobre futebol americano, todos falam que é ótimo e está na minha lista para leitura. Não poderia faltar nessa lista.)

***

Bom, é isso aí, galera! Nosso segundo Top Five mensal. Se você você quer recomendar algum mangá esportivo que faltou na lista, pode deixar nos comentários e se você se interessou em ler algum desses, comente o que achou para trocarmos uma ideia!
Até a próxima!

4 comentários:

  1. Minha dica: Prince of Tennis! Principalmente a primeira fase, que é mais focada nas partidas de tênis. O mangá explica bem as regras do jogo e talz, não cheguei a acompanhar todo o mangá (foi mais o anime), mas pelo anime lá no final da temporada os produtores acabam exagerando nas técnicas dos personagens, então tem hora que parece que vc tá vendo um tênis misturado com dragon ball, hauhuhua mas a história é legal e os personagens são muito carismáticos. Tem a sequência, New Prince of Tennis, ela é legal mas tem umas coisas meio viajadas que não sei se quem curte mais o lance das partidas vai gostar. XD
    E eu PRECISO ler Slam dunk! LOL Eyeshield 21 também é um dos que está na minha lista, já ouvi falar dele mas nunca cheguei a pegar o mangá ou o anime pra ver, no máximo foi conferir uma sinopse.
    Kuroko no basket cheguei a ler o comecinho do mangá, acompanho mais pelo anime mesmo. XD

    Gostei do tema, mangás esportivos infelizmente não pegaram tão bem aqui no Brasil (vamos ver com o Super Onze se não melhora isso). Torço pra vir mais mangás do gênero, pois gosto da forma como os personagens, seus conflitos e o lance de superação são trabalhados neles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Prince of Tennis também merecia uma menção honrosa! Eu ainda não li mas é um clássico sem dúvida. Aliás, sabe me dizer se esses exageros que você comentou também existem no mangá ou é só coisa do anime?
      Então, não sei por que não lançam mais esportivos por aqui. Na época que saiu Slam Dunk fez bastante sucesso, tanto que vários volumes são raros de se encontrar. E basquete nem é o esporte preferido do brasileiro, hein...
      Acho que um mangá de futebol ou algum de vôlei (Olha Haikyuu!! chegando aí... O anime estréia em janeiro) faria um certo sucesso e incentivaria as pessoas a praticarem mais esporte. o/

      Excluir
  2. Respostas
    1. Hahahaha! Verdade!
      Um dia vamos entrar nessa lista! xD

      Excluir