quinta-feira, 4 de maio de 2017

[Novel] Simplesmente: Eu e Você! - Capitulo 02

Fala galera!
Uma pequena atrasada de uma semana no capitulo 2 de Simplesmente: Eu & Você! para adequar ao ritmo de publicação do autor Saieso Seraos. Sem muito o que dizer, fiquem com a continuação dessa emocionante história e comentem o que estão achando! Boa leitura!


Simplesmente: Eu & Você!
Autor: Saieso Seraos
Gênero: Romance
Revisão: Érica Y. Samizava

Voltando ao passado...
Quarta-feira, 7 de março de 2002


# 02

Palmas, Tocantins, Brasil

Faz uma semana que cheguei em casa, e para minha infelicidade, fui acometido com uma enfermidade: dengue. Se bem que até o momento pensei ser apenas efeito de alguma gripe, levando em consideração que eu havia pegado bastante chuva nos últimos dias no período em que estive trabalhando.

Bem, vocês devem estar se perguntando: “Mas quem é esse mesmo?”. Bom, desculpem a falta de cortesia da minha parte. Meu nome é Roberto Garcia, 22 anos, solteiro e uma porção de coisas (risos). Desde que cheguei aqui na cidade de minha mãe, diversas coisas aconteceram, e bem, a maioria coisas boas, mas também algumas situações desagradáveis vieram também a ocorrer. No entanto, não vem ao acaso, já que o que aconteceu ou o que tiver de acontecer, vai ser.

Independentemente do que você precisa fazer, é necessário que acredite, viva, sinta, e acima de tudo: Confie em sua necessidade de poder realizar tal feito, e assim que tiver enfrentando as consequências de tudo e de todos, irás entender que nem tudo é perfeito, mas que seus sentimentos são reais, viva o que puder, acredite no seu coração, e cuidado com suas escolhas, pois nem tudo que acreditamos que é certo será, mas mesmo que não acerte na primeira, na segunda ou até mesmo na terceira tentativa – servirá os erros como aprendizagem, não é necessário que se arrependa, mas que reconheça seus erros e não volte a praticá-los. O tempo passa, mas tenho que conviver com a consequência de meus erros, de minhas escolhas, por mais óbvias que elas tenham parecidos ser, infelizmente não depende só do que eu ou você escolha, decisões são complicadas, pois um deslize poderá ocorrer, mas ao mesmo tempo, acabará ferindo as pessoas que você mais ama, quem você realmente se importa, trará feridas maiores do que tenhas imaginado, às vezes, feridas que durarão por toda a eternidade.

Roberto começa a lembrar de algo que Lorena havia dito pouco tempo após iniciarem o relacionamento: “ – Não consigo ver o meu mundo sem você!”; ele começa a refletir o quão difícil é a dor da separação, que chega a imaginar se conseguirá prosseguir, muitas noites sem dormir, dias tristes sem sorrir e por mais que para os conhecidos da cidade onde mora, os parentes, ele demostre estar tudo à mil maravilhas, por dentro não se aguenta, não só pelo fato de ter terminado o namoro e ter ido embora, apesar que moram em cidades próximas e podem se ver quando quiserem, mas esta parece ter sido a escolha mais apropriada. Roberto é uma pessoa que praticamente teve sempre o melhor desde sua infância, amigos maravilhosos, uma família excepcional, no entanto, algo o incomodava – jamais teve sorte propriamente dita no amor -, e com isso vários flash’s constantemente vêm à sua mente de amores e desamores ocorridos no passado; agora como enfrentará as coisas seguintes, bom nem isso mesmo ele sabia, não sabia o que o futuro lhe preservava.

Após o almoço, por volta das 14h40min, Roberto resolve descansar um pouco, considerando que o mesmo ainda não se recuperou completamente de sua saúde. Ele pega um colchão e o lança sobre o chão – estende um lençol sobre ele forrando-o e em seguida deitando sob o mesmo.

Depois de uns quinze minutos deitado, a sonolência tomou conta de seu corpo e logo adormeceu. Percebe-se que, enquanto deitado parecia ter algo desconfortante acontecendo com Roberto, não se sabe ao certo o que realmente havia, porém, vê-se logo que a febre retorna aos poucos sobre seu corpo, tirando todo o conforto e tranquilidade no momento em que dorme. E, por mais que ele se encontre nesta situação, se voltarmos o olhar para sua face, conseguimos perceber uma leve diferença comparado com a atual circunstância e, caso nos pergunte, a resposta é simples – sonho - O quê? Talvez seja esta a dúvida que venha a pairar sobre o ar, mas é simples sim, ele se encontra sonhando, então não há explicação mais lógica do que esta. Passaram apenas dez minutos neste tempo de raciocínio e acontecimentos.

(Conceição do Araguaia – Pará, 12 de março de 2009); Praça da Bíblia.


Estou ali, sentado sobre um dos bancos da praça, precisamente ao lado do ponto de táxi, meu celular toca e atendo:

- Alô! Neste número falo com Roberto? - uma voz feminina pergunta.

- Pois não... É neste número sim. Quem gostaria, por favor? - pergunto.

- É a tia Maria, mãe de Michelly! Apenas ligando pra lhe parabenizar por você estar completando mais um ano de vida!

- Ah, Obrigado tia... Lembraste de mim. - complementei...

Bom, fiquei muito feliz em receber a ligação de congratulações, ainda mais por ser de alguém que é mãe de uma das minhas melhores amigas. Mas antes que concluísse meu raciocínio e a alegria estampasse todo o meu rosto, fui interrompido:

– Robert (normalmente é assim que minha tia sempre me chama) tem alguém aqui querendo falar com você, só um momento! – fiquei em dúvida, mas ao mesmo tempo imaginei que fosse Michelly, entretanto ela já havia me parabenizado mais cedo.

- Oi... – uma voz bem suave fala do outro lado da linha comigo.

- Oi! - respondi.

- FELIZ ANIVERSÁRIO! Que seus sonhos se realizem e que sua vida seja repleta de felicidades, amor e você e sua família sejam abençoados sempre! - Ela finaliza suas felicitações.

- Obrigado! – agradeço.

Por um período curto de segundos, meu tempo parou, como se tivesse surtado e caísse totalmente paralisado em algum lugar qualquer, a diferença é que o meu coração parecia mais uma locomotiva disparada a ponto de colidir com uma enorme montanha. Minhas mãos começaram a suar frio. Fiquei me perguntando quem era aquela pessoa, não era uma voz que eu já havia ouvido antes? Bem, realmente não sei...

- Robert? – diz a voz, no celular.

- Sim? Estou aqui.

- Quem falou com você agora a pouco foi minha filha mais velha, irmã de Michelly, provavelmente ela já havia falado da irmã dela: Lorena - fala tia Maria.

- Sim tia, Michelly já havia me contado sobre sua irmã Lorena. Foi um prazer conversar com ela. Obrigado por terem lembrado do meu aniversário.

- Robert, vou passar seu número pra ela, assim vocês poderão conversar. – afirma a mulher .

- Obrigado tia. E diga à Michelly que depois converso sobre as artes que ela havia me enviado pra analisar.

- Ok. Até outra hora, meu filho. Já estou quase atrasada para o trabalho. Beijos e fique com Deus! – tia Maria se despede de mim.

Acontecido isso, fui pra casa feliz. No entanto, a alegria era por conta de um certo nome: Lorena. Por mais insignificante que seja para outras pessoas, para mim é como se fosse a melhor coisa do mundo. Chegando em casa, fui direto para o computador, acessei minha conta do Orkut, pesquisei pelo nome dela, acrescentando apenas o sobrenome. Vendo os amigos em comum foi fácil encontrar. Enviei o convite de amizade. Não demorou nem dois minutos e minha solicitação de amizade foi aceita.

Dias se passaram e nossas conversas foram se prolongando cada vez mais, chegando ao ponto de Michelly ficar com ciúmes e até se afastar de mim. Após uns três meses, passamos nossa amizade do Orkut para o Messenger. Às vezes, nos falávamos por videoconferência. E, algum tempo depois, nossa amizade foi se transformando em algo a mais. Por fim, começamos a namorar.

O mais interessante e ao mesmo tempo vergonhoso foi o momento de pedir alguém em namoro. Sei lá, talvez pelo fato de que dar aquele eterno frio na barriga (risos). Acredito que a maioria já passou por isso a primeira vez, bom, independente de tudo, foi assim que conheci Lorena e iniciamos um relacionamento por um determinado tempo. E falando em tempo – só ele pra nos dizer o que realmente acontece com a gente.

Roberto acorda de repente, assustado. Com a roupa ensopada de suor, senta-se rapidamente sobre o colchão. Por sorte, já estava melhor e não tinha mais vestígios de febre sobre o seu corpo.

***

O que virá a seguir? O que será que aconteceu com Roberto e Lorena durante o tempo de namoro? Não deixe de acompanhar esta emocionante história romântica! Continua no Capítulo 02!

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário